Diego Souza é apresentado e recebe a camisa 9 do tricolor

0
224
views

Foto: Reprodução/Globoesporte.com

Por: Vinicius Oliveira

O São Paulo apresentou o atacante Diego Souza nesta quinta-feira (11) no CT da Barra Funda, atacante que irá substituir o Lucas Pratto que foi para o River Plate e recebeu a camisa 9.

Confira a entrevista completa do jogador:

Raí abre apresentação: “É um prazer apresentar o Diego para a torcida são-paulina. Dispensa comentários. Tem categoria e habilidade. Chega como referência para todo o time e para os mais jovens. Temos muitos aqui. Um jogador que deixou boas lembranças por onde passou. É um líder. Há poucos dias, falei que o São Paulo busca contratações precisas para equilibrar o perfil do elenco com qualidade para termos um grupo ambicioso, não só nas pretensões, mas na qualidade de jogo. Com certeza o Diego será uma referência”.

Por que o São Paulo?

“A escolha sem dúvida pela história, uma equipe que sempre briga por todos os campeonatos que disputa. Por mais que tenha tido um pouco de dificuldade no passado não é o normal. Para buscar objetivos pessoais precisa estar em um grande time, para ajudar e ser ajudado, para alcançar os objetivos pessoais”, diz Diego Souza.

Qual posição vai jogar e pretende atuar como 9, de olho na Seleção?

“Tive poucas conversas com Dorival, mas me conhece. Não estou preocupado em jogar de 9, 10 ou pelo lado. Quero jogar e estar bem ajudando da melhor maneira. O Tite me conhece, joguei muito contra e nas últimas convocações estive junto. Não estou muito preocupado com isso. Quero jogar bola e bem, ajudando da melhor maneira”, diz Diego Souza.

Diego Souza disse que para realizar seus desejos individuais é fundamental estar numa equipe do tamanho do São Paulo e jogar bem. Estar na Copa do Mundo da Rússia é o maior objetivo pessoal do atacante em 2018.

Outros clubes brasileiros procuraram?

“Minha escolha foi uma conversa que tive com Raí, um atleta fora de série, um ídolo que viveu tudo que um profissional pode viver no futebol. Campeão do mundo e com a experiência que ele teve. Conversamos muito. Passei meus objetivos de carreira, trocamos ideias e isso ajudou muito para estar aqui hoje. A confiança que me passou, a felicidade que fiquei de poder vir para cá. Tudo isso possibilitou a proposta. Todos sabem do carinho que tenho pelo Sport, família adaptada, cidade maravilhosa, mas chega um ponto que tem de tomar decisão. Tenho objetivo de jogar a Copa do Mundo, mas o principal é estar aqui de corpo e alma, ajudando a buscar títulos que é tradição do São Paulo”, diz Diego Souza.

Pressão no São Paulo

“Situação complicada até um certo ponto. Nas últimas rodadas até poderia estar disputando Libertadores, estava brigando pelo número de vagas. Objetivo desse ano é organizar rapidamente o time e brigar, porque não é comum o São Paulo estar há tanto tempo sem levantar um título”, diz Diego Souza.

Substituto de Lucas Pratto:

“Substituto cada um tem a sua característica. Se tiver de jogar de 9, estou acostumado, de 10 também. Fica mais para o Dorival, onde sentir à vontade de me usar estou à disposição 100%”, diz Diego Souza.

Superar meta de gols é a melhor forma de conquistar carinho do São Paulo e substituir Jesus?

“Tenho que estar bem e ajudando. Seja como armador ou centroavante. Não vejo muito números. Não acompanho muito nem os meus. Tem que fazer gols e ajudando assim. Só assim pode conquistar o seu torcedor como uma vaga na seleção brasileira”, diz Diego Souza.

Mudanças constantes de clubes na carreira: como vê?

“Mudei, passei por alguns clubes, a maioria dentro do país. Duas vezes nessa mudança foi por questões burocráticas, fui para arábia, clube não pagou e tive de voltar. Na Ucrânia fiquei uma temporada e pela guerra a equipe do Metalist acabou não existindo mais. São questões de oportunidade. Meu passe era de uma empresa e isso fazia com que eles tivessem porcentagem de vendas. Tudo foi aprendizado. Nos últimos tempos dei uma assentada numa cidade, isso é bom. Não fica nessa loucura, correria de arrumar casa, escola, se adaptar rapidamente. É muito melhor estar adaptado e tranquilo num lugar”, diz Diego Souza.

Tinha alguma relação fora de campo com Scarpa

“Não tive contato com Scarpa. Ele foi na volta que tive para o Fluminense: foi pouco tempo. É amigo mas não tive contato. Grande atleta e jogador, sem dúvida vocês falando que eu tenho de fazer gol, é um cara que ajudaria bastante”, diz Diego Souza.

Anderson Martins e relação com o Palmeiras?

“Ajuda muito na saída de bola, é um craque, faz a bola chegar redonda na frente. Quanto ao nosso rival, faz oito anos que saí do Palmeiras. A minha história vai existir por aquele momento, mas hoje é passado, tenho um clube de tradição e com muita ambição pra buscar os seus objetivos”, diz Diego Souza.

Negociação com Palmeiras:

“Era meio de temporada. É difícil sair de onde você está adaptado e bem. Não sabia se era o que queria. Acabou o ano, tivemos um ano difícil lá. Tive essa conversa com Raí e sem dúvida nenhuma trocamos essa ideia e isso me fez acreditar no projeto, e vir ser feliz aqui no São Paulo”, diz Diego Souza.

Mais importante é começar bem o ano e mostrar que tem condições. Infelizmente teve essa contusão do Gabriel (Jesus). Não sei se estará à disposição nos amistosos. “Se não estiver, mais uma chance de mostrar”, finalizou Diego.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here